agosto 20, 2014

Taralli

for this recipe in English, click here

Oi gente,
O post de hoje é uma novidade no blog, pois além de não ter chocolate,  também nao é doce! É uma receita que eu aprendí na aula de pães tradicionais da Itália, quando estava na escola de confeitaria, e se chama Taralli.

Quando eu comecei a me interessar por confeitaria, eu não tinha a menor idéia do que era o universo dos pães e, menor ainda, era o meu interesse por eles. Entretanto, durante o curso, fui mordido por esse “bicho” chamado fermento biológico. Apesar de naquela época, o meu interesse em fazer pães ser pequeno, me fascinava a ideia do fermento ser um ser vivo e fazer o pão crescer.
Depois de me formar, o que eu mais queria era trabalhar com chocolate, fazendo diferentes tipos de chocolate e doces com chocolate como mousses, bolos de chocolate, cremes, coberturas, etc. Por isso fui trabalhar em uma loja de chocolate, onde eu realmente queria!

De vez em quando também tinhamos que fazer pão lá e essa tarefa cabou sobrando para mim. Aí foi surgindo o meu interesse e fui comprando livros e livros sobre como fazer pão e praticando cada vez mais, até o ponto de que quando fui trabalhar em um restaurante um tempo depois, passei a, alem de fazer doces, ser o responsavel pela produção dos pães.

Gostei tanto que, aqui em casa, não se compra pão há mais de dois anos. Já fiz pão de forma normal, integral, aquele “tipo australiano”, foccacia, schiacciata, pão indiano, baguette, croissant parisiense, paozinho francês e é claro massa de pizza que nao podia faltar! Faço tanto com fermento natural (levain) quanto com o biologico.

Decidí então, começar a postar receitas de pães, variando mais o blog. Outro dia, lembrei desta receita de Taralli. Esses biscoitinhos têm origem na região italiana d’Apúlia, o salto da bota. Várias regiões do sul da Itália também têm as suas receitas dessa maravilha, entre elas estão Campânia, Basilicata, Calábria e Sicília,
A receita que nos foi ensinada (versão napolitana desse petisco da culinária italiana) é um pouco diferente pois leva amêmdoas mas eu resolvi não usar por questão de gosto . Assim ficou mais próxima da receita original d’Apúglia.

Esse biscoitinhos são ótimos para acompanhar um vinho branco geladinho, out até mesmo uma boa cerveja gelada, quando estiver vendo um filme, ou um aperitivo para uma reunião com os amigos.  Sabe aquelas coisas que são praticamente impossíveis de comer “só um”? Pois é, pode colocar os Tarallis na lista dessas coisinhas.

Bom, vamos parar de enrolar e botar as mãos na massa, literalmente. J

 

Ingredientes
- 200g Farinha
- 2,5g Fermento Biológico
- 62,5g Banha, é, é isso mesmo banha de porco, aqui eles usam pra várias coisas, Querendo, você pode substituir por manteiga, o gosto vai mudar, mas é uma opção. Lembre-se também que a manteiga tem um percentual de água, então, se usar, reduza a quantidade da água na receita.
- 2g Pimenta do Reino
- 60g Amêndoas cortadas (para a versão napolitana)
- 65g Vinho branco
- 5g Sal
- 25g Água morna (30°C)

Antes de Tudo
- pré-aquecer o forno a 190°C 
- preparar as formas com o papel manteiga/vegetal
- cortar as amêndoas (se estiver fazendo a versão napolitana) 

Modo de fazer
1- Misturar a farinha com o fermento biológico, a banha, a pimenta, o sal e o vinho branco.
2- Adicionar as amêndoas (se estiver fazendo a versão napolitana desta receita) e a água (aos poucos). Lembre-se que a quantidade de água para as receitas de pães e massas é indicativa. Em alguns dias você vai usar um pouco mais, em outro um pouco menos.
3- Deixe que a massa se forme e misture por mias uns 5 minutos. Deixe descansar (coberta) por 15 minutos.
4- Corte em pedaços menores e role, como se você fosse fazer uma baguete.
Quando estiver bem fina, corte em pedaços iguais e, depois, continue a rolar a massa para fazer, com esses pedaços rosquinhas.
5- Coloque as rosquinhas numa bandeja com papel manteiga/vegetal e depois cubra com filme de pvc para fermentar, eu deixei entre 30-60 minutos.
6- Assar por aproximadamente 20 minutos, mais uma vez depende muito do forno. Você vai perceber que os tarallis estão ficando prontos, quando eles começarem a ficar corados.
7- Retire do forno, deixe esfriar e aproveite.
8- Esses biscoitos, se armazenados em um pote hermetico, podem durar de um a dois meses. Sinceramente, eu acho que pra durar isso tudo, você vai ter que fazer uma quanitdade muito maior. 
bom apetite e até a semana que vem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lembre de deixar seu nome pra eu saber quem está curtindo o blog e poder agradecer críticas construtivas, responder dúvidas e ir aprimorando, cada vez mais, esse meu pequeno espaço na grande rede. Obrigado!